Notícia 16:58 - 06 de maio de 2019

Analistas de economia reduziram a projeção de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para 1,49% - primeiro valor abaixo da marca de 1,5% neste ano -, de acordo com dados do boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (06/05) pelo Banco Central (BC).

O relatório, elaborado a partir de levantamentos com mais de 100 instituições financeiras, apresentou recuo de 1,7% para 1,49% na última semana – a décima queda consecutiva.

Essa tendência de diminuição teve início após a divulgação do desempenho do PIB em 2018 – quando a economia cresceu apenas 1,1%, indicando uma recuperação lenta.

No fim de março, o Banco Central estimou crescimento de 2% para a economia brasileira neste ano, enquanto o Ministério da Economia projetou expansão de 2,2%.

Já quanto à inflação, os analistas aumentaram a expectativa de 4,01% para 4,04%. A meta central para este ano – estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) – é de 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

Outras estimativas

O mercado manteve em 6,5% a projeção da taxa básica de juros (Selic) no fim de 2019- a mesma em vigor atualmente, portanto, a previsão é de juros estáveis neste ano. Para o fim de 2020, a previsão é de 7,5%, ou seja, alta nos juros.

Em relação ao Dólar, a projeção da taxa de câmbio ao fim de 2019 permaneceu em R$3,75 por dólar. Já para 2020, houve aumento de R$3,79 para R$3,80.

Para o saldo da balança comercial (diferença entre exportações e importações), a estimativa avançou de US$ 50 bilhões para US$ 50,39 bilhões. Para o ano que vem, a estimativa para o superávit permaneceu em US$ 46 bilhões.

O relatório ainda estabeleceu que a entrada de investimentos estrangeiros no Brasil permaneceu em US$ 82 bilhões estimados. Para 2020, a projeção aumentou de US$ 84,68 bilhões para US$ 85 bilhões.