Notícia 12:19 - 17 de abril de 2019

O índice que mede a variação dos preços recebidos pelos produtores paulistas (IqPR) encerrou o mês de março com elevação de 3,62% ante fevereiro, de acordo com dados divulgados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA).

Entre os produtos em alta, destacaram-se a carne suína (com 11,26% a mais), carne de frango (9,98%) e os ovos (6,34%). O reajuste do preço dos suínos foi afetado por dois fatores essenciais: o aumento na exportação de 9% em comparação com fevereiro, sem reajuste da oferta física de animais, e a valorização cambial de 4,3% do dólar em março.

Quanto à carne de frango, os aumentos dos embarques em 15,4% diminuíram a oferta do produto no mercado interno. As principais causas reguladoras dos custos de produção da atividade apresentaram crescimento pouco expressivo no mês de março, e análises preliminares indicam melhora pontual na rentabilidade do setor, conforme informado no portal feed&food.

Os ovos também apresentaram boa rentabilidade, por conta do reajuste de preços entre fevereiro e março, devido ao costume católico de reduzir o consumo de carnes durante o período da quaresma.

No entanto, os pesquisadores do IEA, Danton Leonel de Camargo Bini e Eder Pinatti, alertam para uma possível desaceleração por vir. “Após altas sucessivas, os indicadores apresentaram um arrefecimento entre a terceira e quarta semanas de março, o que indica uma desaceleração que pode estar dando margem para reajustes menores ou mesmo variações negativas para o mês de abril”, explicaram.