Notícia 15:32 - 17 de outubro de 2019

Quase metade dos supermercados de Minas Gerais (40,6%) irão contratar colaboradores temporários para reforçar o atendimento neste Natal, de acordo com levantamento da Associação Mineira de Supermercados (AMIS) com 150 executivos do setor. Serão cerca de 2% profissionais em relação ao quadro fixo, ou seja, cerca de 1,6 mil pessoas. No entanto, diversas empresas fornecedoras contratam esses funcionários para reforçar o atendimento e a apresentação/degustação de produtos. Com isso, o total de temporários atuando diretamente nos supermercados deve chegar a 3,5 mil. 

Por outro lado, a outra parcela das empresas que informaram que não vão contratar trabalho temporário teve que ajustar o período de férias dos colaboradores ao longo do ano para contar com toda a equipe em dezembro.

Os temporários contratados são, principalmente, para as funções de atendimento, embaladores, operadores de caixa, repositores e para áreas de açougue e padaria.  Pela indústria, são, em maioria, promotores de venda e repositores.   Além disso, cerca de 15% desses trabalhadores serão integrados de forma definitiva ao quadro da empresa ao longo do ano.

Maior expectativa de vendas

A perspectiva de contratações foi motivada pelo otimismo dos supermercadistas, que esperam um aumento de vendas de pelo 3,5% para o Natal deste ano, em relação ao mesmo período do ano anterior. A expectativa, de acordo com os entrevistados, está ligada às melhoras na economia, com a recuperação do emprego – ainda que de forma lenta -, e à maior estabilidade dos preços.

Na comparação das vendas de dezembro sobre novembro, historicamente, os resultados superam os 20%. Apesar desse aumento geral para o mix, a aposta está nos produtos típicos da época. Na venda de panetone, por exemplo, é esperado um crescimento de 10% sobre o Natal de 2018.  A linha de vinhos, outro produto muito demandado no período, deverá ter alta de 7%, incluindo nacionais e importados.

Ainda no segmento de bebidas, é esperado um crescimento de 8% em cervejas, com destaque para maior desenvolvimento da categoria Premium. Além disso, as bebidas quentes de forma geral deverão ter incremento de 4% durante a sazonalidade.

As aves típicas para consumo na época, fora o peru, terão procura 6% maior, enquanto carnes diversas, como lombo e peru serão buscadas 10% mais. Enquanto isso, o tradicional peru tem demanda garantida em boa parte dos supermercadistas pesquisados, mas a maioria deles acredita em estabilidade nas vendas desse produto.

 

Produto

Comparação

(dez18 / dez2019)

Panetone

10%

Outras aves típicas

6%

Carnes diversas

10%

Vinhos

7%

Cervejas

8%

Bebidas quentes

4%

Peru

0%


Fonte: Pesquisa de outubro da AMIS com 150 supermercadistas de Minas Gerais

Preços estáveis

Para contribuir com as vendas no Natal, os supermercadistas vão praticar preços nos mesmos patamares do passado – algo possível pela inflação baixa.  Segundo eles, no máximo, os preços terão a reposição da inflação, que está na casa dos 2,89% em 12 meses.  Os importados também não devem ter grande variação de preço comparado ao ano passado, já que a cotação do dólar está próxima do que ocorreu em 2018 - na casa dos R$ 3,70 com máxima de R$4,01, ante a faixa dos R$ 4,00 neste ano.

Veja também:

GPA traz economia de R$ 350 milhões a clientes fidelizados

Consumidores buscam conveniência acima de preços

Cesta básica paulistana registra alta de 0,29%


Veja também