Artigo 09:31 - 24 de junho de 2020

Quando você está participando de uma entrevista, a pergunta mais comum é: qual foi o seu case de sucesso? Ou então, quando você está preparando seu currículo, a dúvida tende a ser: como escrevo meus cases de sucesso?

Como Headhunter há dez anos, com foco principalmente no varejo, sempre falei isso para os meus candidatos. Esse artigo tem como objetivo expandir esse ponto de vista.

Tenha claro na sua explicação três pilares para cada um dos seus cases: qual era o objetivo, qual foi o resultado e como você alcançou seus resultados. Esse último é o mais importante.

O “como” muitas vezes parece óbvio, mas é o que vai fazer você se diferenciar e trazer evidências para que, de fato, o entrevistador te conheça.

Isso diz muito mais sobre você do que imagina. É seu modus operandi!

No varejo, por exemplo, competências como adaptabilidade, foco em resultado, trabalho sob pressão e características como alto nível de energia e automotivação são fundamentais para todos as áreas. Para que essas competências e características sejam exploradas é necessário saber o “como” de cada um.

Dito isso, é importante ter em mente:

  • Como você fez esse resultado acontecer?
  • Como usou seu nível de influência?
  • Como engajou seu time para todos ficarem focados no mesmo objetivo?
  • Como lidou com os desafios e dificuldades durante esse processo?
  • Como estruturou sua estratégia?
  • Como foi sua execução?

 

Já se fez essas perguntas sobre cada desafio que teve na sua carreira?

Todos nós sabemos o nosso “como”. Inclusive é inato e por ser parte de cada um de nós, não pensamos para fazê-lo. Por isso é importante responder essas perguntas.

Isso vai te trazer mais clareza sobre si. É um processo de autoconhecimento. Não existe certo ou errado.

Você começará a entender melhor suas fortalezas, fraquezas e limites. Não tente parecer o que você não é, porque não será sustentável a longo prazo.

Para o entrevistador ficará mais claro em qual tipo de cultura empresarial você se encaixaria melhor, em qual cenário, com qual nível de autonomia ou influência.

Se coloque no papel de entrevistador: você está contratando seu Gerente Regional de Operações de Loja e pergunta a ele:

Qual foi sua maior entrega no ano passado?

Ele responde: “Bati 150% da minha meta.”

Fantástico!

Porém, apenas isso não basta.

Entender como ele superou a meta será determinante para que realmente o conheça e entenda quais serão as facilidades e dificuldades para liderá-lo e desenvolvê-lo, bem como, se ele se adaptaria no cenário atual da sua empresa e equipe.

Esse modus operandi e/ou linha de raciocínio só pode ser explorado com a palavra-chave “COMO”!

Nesse momento de quarentena que estamos vivendo, no qual o mercado de trabalho está desaquecido, quero te ajudar a refletir e se preparar para processos futuros.

Parece simples e óbvio, mas faça esse exercício. Reflita sobre sua carreira. Se conheça!

Estruturar um currículo ou se preparar para uma entrevista ficará muito mais fácil.

Se quiser aprofundar ainda mais e conhecer seus valores e sua motivação (motivos para ação), se pergunte: Por que? Por que você tomou aquela atitude? Por que chegou nessa decisão? Você vai notar que as respostas sempre estarão baseadas nos seus valores e crenças.

Boa sorte nesse processo!

 

*Wanessa Aguiar é membro do Mulheres do Varejo, Headhunter e consultora de carreira

 


Veja também