Artigo 18:53 - 16 de abril de 2019

“Morrendo de sede em um oceano de dados” *

Quando recebi o convite do Rogério Gatti – editor da SuperVarejo para ser um colunista da revista em um ambiente online para escrever sobre tendências, vários sentimentos surgiram. O primeiro foi de alegria pela confiança em mim creditada para abordar um tema que considero vital para que possamos permanecer relevantes para nossos clientes, ambientes inspiradores e recompensadores para as equipes, acionistas e sociedade, que é entender o ambiente que vivemos, suas transformações e como impacta e impactará a operação do varejo. O segundo sentimento foi uma enorme ansiedade pelo desafio de produzir um conteúdo que seja relevante e útil para você que está lendo este artigo. Sentimentos. É isso que nos define e nos move. Aceitei o desafio. Nesse primeiro artigo coloco foco no ser humano. O ser humano está no centro de tudo. A razão de ser de tudo que fazemos por nós e pelos que estão próximos.

O desafio humano de liderar de forma inspiradora, tomar decisões e  alcançar resultados positivos

Comecei pelo sentimento porque nos projetos que executamos com foco em estruturar uma área de inteligência nos clientes, que contribua para o processo de tomada de decisão e que integre estratégia/execução, os diferentes departamentos, seus fornecedores, os principais desafios não são técnicos, mas são humanos. Ter uma área de inteligência dentro da empresa implica em transparência, respeito, diálogo e colaboração. Todos convivemos com o desafio de entender o contexto, suas transformações e seus impactos. Tornar a empresa sustentável em um contexto de acirramento da concorrência, diminuição do número de clientes que frequentam a loja, redução do tíquete médio, ações promocionais que não geram os mesmos resultados, custos crescentes, novos concorrentes e clientes mais informados, exigentes e impacientes. Junto com tudo isso o desafio de liderar e gerir equipes multigeracionais, preservar a margem bruta e o lucro líquido da empresa e tomar mais decisões todos os dias em um menor espaço de tempo. Se não bastasse, nos sentimos agoniados por não acompanharmos as notícias, as novidades tecnológicas e por aí vai. Só sabemos que é um mundo onde tudo muda rapidamente, no qual parece que tudo está ficando mais complexo e ambíguo, no mínimo confuso.  A incerteza predomina no meio de opiniões e verdades absolutas em ambiente crescente de polarização. Vivemos a era da ansiedade e temos que liderar nesse contexto!

Um oceano de dados

Em maio de 2017, a revista The Economist, trouxe em sua matéria de capa a afirmação de que os dados são o novo óleo, ou seja, o combustível do futuro são os dados e que há novas regras no ambiente competitivo. Por outro lado, Soumitra Dutta – acadêmico renomado da Cornell Universitty, em um curso realizado pela Abrafarma, afirmou que as empresas estão “morrendo de sede em um oceano de dados”. Esse é nosso desafio. Temos muitos dados, muitas opiniões e tudo ocorre em alta velocidade e mal temos tempo para acompanhar os títulos, que muitas vezes são enganosos e estão sendo utilizados para nos fisgar e gerar cliques, que é uma das formas de se medir audiência.

Bora juntos nesta jornada de entender o que acontecendo e transformar informação em algo útil?

Se estamos em um “oceano de dados e estamos morrendo de sede”*, como lidar com esse ambiente? Como simplificar, sem perder a essência, o que está acontecendo? Como tomar cuidado com informações e opiniões que parecem ser sólidas, mas que não tem relação com a sua realidade? Afinal, cabe lembrar que tendências e fatos são interpretações e depende de quem está escrevendo porque tem a ver com a sua história, seu conhecimento, sua trajetória, suas experiências.

Quinzenalmente teremos esse encontro. Esse primeiro artigo foi mais para contextualizar o momento, nossos sentimentos e desafios.  Fez sentido para você? O que você colocaria neste artigo que eu não abordei?  Compartilhe comigo o teu sentimento?

Olegário Araújo

Cofundador da Inteligência360 e pesquisador do FGVcev – Centro de Excelência em Varejo da FGV EAESP

Para me conhecer um pouco mais: https://www.linkedin.com/in/olegarioaraujo

Meu e-mail: olegario.araujo@in360.com.br

*Frase original citada na revista Excelência da Abrafarma, p. 32: “As empresas estão morrendo de sede em um oceano de dados”