Notícia 16:47 - 10 de julho de 2019

O Brasil e o Paraguai anunciaram um acordo para reforçar a vigilância sanitária sobre a produção de gado e soja na fronteira - atividades importantes para a economia dos dois países - ontem (09/07). Aguardando aprovação, a proposta inclui a criação de unidades regionais de vigilância, além do estabelecimento de vínculos entre os responsáveis pelas áreas de controle.

O comunicado foi feito após a reunião da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, com representantes do Paraguai, em Assunção. O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, também esteve presente na ocasião, segundo o G1.

O plano faz parte do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), iniciado em 2017, e prevê o registro de produtores e bovinos localizados em um raio de 15km da fronteira. As autoridades também decidiram realizar encontros bilaterais a cada quatro meses para avaliar as medidas tomadas.

Além disso, Paraguai e Brasil lançarão um projeto integrado de movimentação que deve ser atualizado de quatro em quatro meses. A ministra também convida outros países da região a participarem de um banco de vacinas contra a febre que está sendo desenvolvido pelo Brasil.

Azambuja aproveitou o encontro para destacar a contribuição que a construção de duas novas pontes trará ao comércio bilateral. “Essas obras ampliarão nossos mercados e farão com que Mato Grosso do Sul posso ter acesso ao Pacífico cruzando o Paraguai”, afirma o governador.            

Quanto ao cultivo de soja, os dois países devem assinar um acordo sobre a “troca de ações sobre o registro de pesticidas” em agosto.