Notícia 13:57 - 16 de outubro de 2020

Mais humanidade, praticidade e eficiência. É partindo desses requisitos básicos que se constrói uma boa comunicação digital e se promove uma virada de chave nos dias de hoje.

Na live desta quinta-feira (dia 15), Soraia Lima, CMO da Coslim Consultoria, deixou clara essa premissa: “em um momento difícil como o que o mundo está passando, por causa da pandemia, as empresas precisam se preocupar mais com a aproximação, empatia e conexão, do que propriamente com as vendas. É preciso ficar marcado na memória das pessoas, de forma emocional, porque elas estão mais sensíveis”, defende.

E para isso, o varejo alimentar precisa, “para ontem”, se digitalizar, nem que seja da forma mais simples possível, começando por ter um site; depois selecionar o público que quer atingir e, consequentemente, pesquisar pelo menos duas redes sociais para que possa postar os seus conteúdos informativos e úteis, “que ajudem e sejam mais instrutivos do que simplesmente anunciar produtos e preços”, para só depois construir uma rotina de relacionamento, interagindo nos posts e respondendo, nem que seja apenas duas vezes por semana.

“Não basta despejar o seu conteúdo, por exemplo, se não houver interação, repostas e trocas, nem que elas sejam negativas. Afinal, nem todo comentário negativo que chega é uma crise ou algo pessoal, como alguns varejistas acham, às vezes, ao receber uma reclamação. É preciso entender isso: no ambiente digital as pessoas perdem toda a timidez e se expressam para o bem ou para o mal. Cabe a nós, supermercadistas e demais empresas, ter essa consciência”, exemplifica.

Dentro desse sentimento de mais humanidade e empatia nas comunicações digitais – por meio de e-mail marketing, posts nas redes, blogs, e-books, entre outras - é preciso ser mais ágil, já que a virada digital, que antes era assustadora, passou a ser uma normalidade para o consumidor, e os investimentos em comunicação, que muitas vezes eram negligenciados por algumas empresas que os consideravam “custos” estão sendo primordiais para manter o contato, mesmo que à distância.

“Durante muito tempo o marketing foi voltado só para as vendas, mas com a popularização do ambiente digital, as empresas foram percebendo que os conteúdos produzidos podem ajudá-las tanto nisso quanto em qualquer outro tipo de comunicação ou ação. O que acontece hoje, com a pandemia, é que muitos clientes migraram para o digital, enquanto as empresas migram para este mesmo ambiente, mas sem estratégia, nem planejamento. Isso é preocupante e pode trazer muitos problemas no futuro”, antecipa.  

Três dicas de ouro para os supermercadistas

De acordo com a especialista em comunicação digital, os varejistas precisam levar em consideração três itens fundamentais para não ficar para trás:

- Se você produz um bom conteúdo passará a gerar automaticamente mais credibilidade para a sua empresa e as pessoas passarão a confiar mais na sua marca e a comprar de você. “Por isso recomendo a regra do 80/20, onde 80% dos seus conteúdos podem ser sobre dicas ou dados interessantes, e somente 20% você pode deixar para falar dos negócios ou produtos”, defende Soraia.

- Dentro do relacionamento com o seu cliente, o marketing de conteúdo pode ser utilizado de várias formas, como por exemplo: newsletter, mensagens no WhatsApp, blog, redes sociais etc. “O importante é não perder de vista que para conquistar um novo cliente você vai gastar sete vezes mais do que manter um antigo. Então, procure manter os seus clientes já conquistados com essas ações úteis ao invés de procurá-los somente para anunciar promoções ou produtos. Tenha uma comunicação mais pró-ativa”, esclarece a executiva.

- Tudo isso também pode ser utilizado na comunicação com os seus fornecedores. Soraia lembra que muitos dos problemas dentro das empresas B2B ou B2C é a falta de comunicação. “A empresa esquece de comunicar algo importante para o fornecedor e espera que ele entenda, deixando de lado a divulgação de instruções. Por isso, ao contrário do que muitos pensam, comunicação não é gasto, mas sim algo que agrega valor e é fundamental para se obter resultados”, conclui.

 

 


Veja também