Notícia 11:31 - 09 de julho de 2020

Se há pouco mais de quatro meses falar sobre cabine ultravioleta para limpeza de compras nos supermercados soaria como um delírio, hoje, além de já ser uma realidade em algumas unidades do Carrefour (como já falamos aqui) é também uma solução para atrair e facilitar a vida dos clientes.

“Com a pandemia, o consumidor passou a ser o elemento mais importante do complexo. Questões relativas ao atendimento têm progredido de formas objetivas e subjetivas e só no futuro, com o total controle desta fase, é que serão consolidadas”, opina o arquiteto Douglas Piccolo, que já assinou projetos para supermercados como a Rede Angeloni.  

Enquanto os procedimentos para conter a propagação da Covid-19 se solidificam no varejo, os fornecedores se reinventam e desenvolvem soluções mais sofisticadas. Mas, antes de pensar em trazer novos equipamentos para o seu negócio, é importante não se distrair do que é fundamental.

“O que aconselho é ter foco na operação e na maneira como você pode tornar essa experiência melhor para os seus clientes e colaboradores”, lembra a arquiteta e sócia-diretora da Opus Design, Kátia Bello, que já conversou com a SuperVarejo sobre mudanças nos layouts de supermercados em tempos de pandemia (leia aqui).

Nesse sentido, é válido que o varejista, sobretudo o de menor e médio porte, fique atento a certas adaptações que evitam a propagação do vírus dentro do PDV. “Uma delas é desobstruir corredores. É fundamental que eles estejam livres de equipamentos como caixas e displays, que afunilam ou diminuem o espaço de circulação”, explica Bello.

Na opinião da especialista, caso o cliente esbarre em outras pessoas no momento da compra, pode ser que ele não volte mais à loja. “Reduza as frentes de exposição daqueles produtos que giram menos para liberar espaço nas gôndolas. Isso pode ajudar a evitar as pilhas de caixas no chão.”

Segurança atestada

Com a necessidade de muitas empresas comprovarem e mostrarem para o consumidor a seriedade de suas ações com relação à pandemia, a DNV GL, empresa global de gestão de riscos, lançou a certificação My Care, um protocolo para o controle de infecções em diversos setores, incluindo o varejo.

“Ferramentas mais tecnológicas são medidas adicionais, mas não essenciais”, explica a gerente de alimentos e bebidas da empresa, Juliani Arimura. 

Segundo a gestora, o fundamental é ter os produtos de higiene adequados para a limpeza da loja, superfícies, cestas e carrinhos, as máscaras, peças de comunicação identificando o distanciamento, e divisórias nas áreas de maior contato, como os caixas. “Além de ter esses recursos mínimos, também é importante trabalhar a capacitação dos colaboradores, a fim de manter a higienização durante as operações”, orienta.

Quanto custa?   

Mas, afinal, quanto custa reforçar a segurança de colaboradores ou, então, agregar mais valor ao seu PDV, com recursos tecnológicos de proteção extra? Conversamos com representantes da Equipa Group, Activa ID e Doutor Boáz, referências no setor, para ajudá-lo a ter uma ideia desse desembolso.

- Face shield (máscara de acrílico utilizada como proteção complementar às máscaras faciais obrigatórias): a partir de R$ 20.

- Braçonetas personalizadas, para abrir freezers e geladeiras sem o contato das mãos: a partir de R$ 15.

- Oxímetro de pulso: a partir de R$ 193.

- Termômetro digital: a partir de R$ 220.

- Protetores de acrílico para caixa e balcões: a partir de R$ 200.

- Totem de álcool em gel com acionamento por pedal: a partir de R$ 350.

- Totem de álcool em gel com dispensador automático sem contato: R$ 1.750 para compra e locação mensal, a partir de R$ 87 (por 24 meses).

- Totem de álcool em gel com dispensador automático sem contato e termômetro sem toque: R$ 3.516 para venda ou locação mensal a partir de R$ 175 (por 24 meses).

- Totem de álcool em gel com dispensador automático sem contato e com espaço para vender mídia digital: R$ 11.060 para venda ou locação mensal a partir de R$ 548 (por 24 meses).

- Totem de álcool em gel com dispensador automático sem contato e câmera termográfica sem toque: R$ 25.500 para venda, ou locação mensal a partir de R$ 1.264 (por 24 meses).

Crédito das imagens: Equipa Group

 


Veja também