Notícia 17:20 - 08 de outubro de 2019

O consumo dos brasileiros não deve superar a marca dos 2% de crescimento para este ano, de acordo com estudo do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR), apesar de expectativas positivas para o segundo semestre – iniciadas pelo aumento de vendas em setembro. Este resultado interfere diretamente no Produto Interno Bruto (PIB), que o Instituto espera ter crescimento de apenas 1% ou menos.

Isso porque o consumo corresponde a cerca de 60% do valor total do cálculo, sendo um item determinante para este porcentual. “Diante deste cenário, as incertezas que permeiam a sociedade, dentre elas a Reforma da Previdência, contribuem para essa paralisação no crescimento do PIB”, avalia o economista e presidente do IBEVAR, Claudio Felisoni de Angelo.

O consumo no Brasil é medido por três variáveis: a renda real (ou seja, a renda nominal descontada a inflação, a taxa de juros ou financiamento ao consumo), prazos de pagamento e nível de emprego e, por fim, a confiança do consumidor. “A taxa de juros caiu de modo significativo, quase 20 pontos percentuais , mas os outros fatores ainda podem implicar em queda sistemática no índice do consumo brasileiro”, alerta Felisoni.

Veja também:

Black Friday irá movimentar R$ 3,45 bilhões no e-commerce

Consumidores maduros são target potencial para o varejo

Unilever irá reduzir uso de plástico até 2025