Artigo 16:59 - 19 de março de 2020

Nos últimos dias, com a propagação do vírus Covid-19, observamos um grande fluxo de clientes no varejo alimentar (atacados, supermercados de todos os portes, açougues etc.) com aumentos substanciais nas vendas. De acordo com dados de Nielsen, nas últimas semanas, alguns produtos apresentaram crescimentos de 2 e 3 dígitos.

Var. Vendas | Semana Pós 1º Caso Semana 01/Mar vs Semana 23/Fev | AS+C&C

Antisséptico para Mãos +623%

Software (Programas)  +389%

Filtros de Ar +100% Álcool +85%

Limpeza Geral  +58%

Sabão Líquido  +33%

Amaciantes  +30%

Curativos  +29%

Fonte: Nielsen

Essa ida às compras de maneira repentina, com aumento substancial do fluxo de clientes às lojas e de vendas, passou a exigir dos varejistas um esforço adicional para repensar o processo de distribuição, para reposição contínua e ágil dos produtos, e um novo olhar para as categorias, para o mix, para a localização dos mesmos, para os espaços ocupados, entre outros.

Em poucos dias, o varejo precisou e está repensando suas práticas diárias para ao mesmo tempo em que, juntamente a seus parceiros fornecedores, garantam o abastecimento regular das famílias brasileiras, de outro contribua com a sociedade, governo e cuide de seus colaboradores e clientes no sentido de atender e garantir as determinações básicas para minimizar o impacto da proliferação do vírus.

Dentro deste contexto, alguns varejistas nos consultaram para entender como o gerenciamento por categoria poderia apoiá-los, na prática.

Segue aqui algumas ações que propusemos e que adotadas podem direcionar melhor os esforços e minimizar o impacto do grande aumento de fluxo, de vendas.

 1 – Atenção redobrada ao mix: cresce a busca por produtos de cuidados com a saúde e bem-estar e de produtos essenciais (alimentos, de higiene básica e cuidado com a casa e sobretudo, para a contenção do vírus).

Neste aspecto, nossas dicas são:

*Para a equipe comercial: recomendamos análises avaliando venda média diária x dias em estoque; redução de estoques de produtos das curvas B e C para suprir a necessidade de ampliar a compra e estoques de produtos essenciais, ação esta para ajudar a manter o estoque saudável (dias e valor).

Redução ou até suspensão das ações de ofertas e promoções. Neste momento de cautela, não se faz necessário estimular a compra por impulso.

*Para a equipe de operações (loja): revisão do espaço em gôndola – aplicar o “fair share”, ou seja, a participação justa, mas considerando a revisão das participações neste último mês e com ações quinzenais, o que permite reduzir o esforço da equipe para o abastecimento. Tema este de extrema relevância ao varejo diante do aumento substancial das vendas de vários produtos x reabastecimento mais frequente x número de colaboradores x ausências de alguns por inúmeras razões.

Disponibilizar alertas diários, uma lista com, por exemplo, os TOP 10 produtos essenciais atuais que ficaram sem vendas no dia anterior para que a equipe de loja, antes da abertura, dê prioridade a estes produtos para o abastecimento das gôndolas. Ademais, identificar diariamente os estoques em loja destes produtos para acionar o depósito ou a equipe comercial.

Ademais, abastecimentos em horários diferenciados e alternados. Filas externas com distâncias e entradas de clientes parciais, explicando os porquês.

Acompanhar de perto o dia a dia dos consumidores durante a crise e sobretudo, pós pois, sem dúvida, grandes aprendizados ocorrerão, com possibilidade de mudanças significativas em hábitos e comportamentos em vários aspectos – desde o cuidado básico com a saúde, com a casa, mas também alimentação.

*Entenda o Gerenciamento por categoria: processo entre varejistas e indústrias para melhorar a experiência do shopper e maximizar resultados considerando garantir o produto certo, na quantidade e preços adequados, bem sinalizados, expostos corretamente com promoções inteligentes.

 

Fatima Merlin é CEO da Connect shopper, idealizadora do Mulheres do Varejo, especialista em comportamento do consumidor e shopper e gerenciamento por categoria, palestrante e articulistas em diversas revistas especializadas, autora dos livros Meu cliente não voltou, e agora e Shoppercracia.

 

 

 

 

foto de capa john-cameron-IEeqknvHRKQ-unsplash


Veja também