Notícia 16:02 - 05 de novembro de 2019

As vendas no e-commerce brasileiro cresceram 13,4% no terceiro trimestre deste ano (entre julho e setembro), na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o Mastercard SpendingPulse - indicador que fornece informações sobre as tendências gerais de gastos do varejo.

“Nesses três meses, fatores como redução da taxa de desemprego, melhoria da renda familiar e aumento do crédito para pessoas físicas, juntamente com inflação estável, ajudaram a aumentar as vendas”, afirma o diretor de análise avançada da Mastercard no Brasil, César Fukushima.

Neste período, os setores de eletrônicos e móveis obtiveram destaque ao superar a média do canal de distribuição em 18,3% e 17,5%, respectivamente. Por outro lado, as vendas nas categorias de farmacêuticos (13%), vestuário (8,1%) e hobby e livraria (2,3%), cresceram, mas tiveram desempenho inferior à média.

Vendas acumuladas

As vendas totais, de todas as categorias (exceto as de automóveis, materiais de construção, restaurantes e cama, mesa e banho), aumentaram 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, quatro setores expandiram acima da média:

• vestuário (4,6%);
• produtos farmacêuticos (4,4%);
• combustíveis (5%);
• artigos pessoais e domésticos (5%).

Por outro lado, os setores de móveis e eletrodomésticos (-1,8%) e supermercados (-0,7%) apresentaram ligeira desaceleração.

Por regiões

O estudo também analisou as transações com base nas diferentes regiões do Brasil e conclui que: Sul (2,7%), Sudeste (2%) e Norte (2%) superaram a média nacional, enquanto as regiões Nordeste (0,5%) e Centro-Oeste (0,2%) ficaram abaixo dos níveis totais de vendas no varejo, comparado com o mesmo período do ano passado.

Veja também:

Consumidor recupera confiança, mas mantém cautela

Black Friday deverá ultrapassar R$ 3,15 bilhões este ano

Lojas Americanas adota a "Black Friday chinesa"


Veja também