Notícia 17:52 - 16 de setembro de 2020

Desde que o coronavírus chegou no País, as vendas do e-commerce têm crescido exponencialmente. Na comparação com o mesmo período do ano passado, por exemplo, o mês de julho registrou um aumento de 78% nas compras feitas com todos os tipos de pagamento, incluindo o dinheiro e cheque. Além disso, a média de crescimento dos últimos três meses (maio, junho e julho) mais que dobrou, segundo o Mastercard SpendingPulse, índice que rastreia as vendas gerais de varejo.

"O crescimento do comércio eletrônico segue acelerado devido às mudanças de comportamento de compra impostas pelo distanciamento social. A pandemia acelerou a tendência de usar os pagamentos digitais, em vez de dinheiro físico, alavancando as plataformas do e-commerce", esclarece Cesar Fukushima, diretor de análise avançada da Mastercard no Brasil.

A pesquisa aponta também que o volume total de vendas, excluindo automóveis, materiais de construção, restaurantes e cama, mesa e banho, aumentou 2,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Trata-se do primeiro mês, desde março, em que o crescimento das vendas no varejo é positivo na comparação anual.

Cenário

Quatro setores tiveram crescimento acima do indicador de vendas totais. São eles: os supermercados; móveis e eletrodomésticos; artigos farmacêuticos e de uso pessoal. Já os setores de vestuários e combustíveis tiveram um desempenho abaixo do indicador.

Em termos regionais, o Sul (3,1%), Sudeste (2,8%) e Centro Oeste (2,7%) do País tiveram um crescimento acima da média, enquanto o Norte (2,2%) e o Nordeste (1,9%) ficaram abaixo do registrado pelo varejo, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

 


Veja também