Notícia 17:51 - 12 de junho de 2019

O Extra e o Pão de Açúcar lançaram uma linha de produtos orgânicos com apresentação diferenciada, mas que contém o mesmo sabor, qualidade e propriedades nutritivas que os tradicionais, com o intuito de incentivar o consumo destes alimentos.

“Nas pesquisas de mercado, as pessoas costumam dizer que não consomem orgânicos porque são caros e nós estamos incentivando o acesso das pessoas ao consumo desses produtos. O alimento é considerado diferente porque é pequeno ou torto, mas sua qualidade nutricional é a mesma do orgânico padrão, já que segue os mesmos processos produtivos. O consumidor vai ganhar muito com isso”, explicou o diretor comercial da Rio Bonito Orgânicos - um dos fornecedores parceiros da Taeq - Alex Lee.

Sob a marca própria Taeq e em parceria com fornecedores, a linha “Boa Escolha” expande o consumo de toda produção orgânica e, assim, valoriza produtos que poderiam ser descartados. Desta forma, estes itens diferenciados, que poderão ter variação de cor, tamanho e formato, além de apresentar manchas, na comparação com produtos orgânicos tradicionais terão um custo, em média, 40% menor do que os orgânicos tradicionais e, a princípio, só estarão disponíveis em seis lojas da cidade de São Paulo – cinco do Extra e uma do Pão de Açúcar. 

A linha será lançada com oito itens: tomate (três tipos), batata, cenoura, cebola, manga e melão. “O principal intuito da Taeq Boa Escolha é incentivar e democratizar o consumo de orgânicos no país por meio de práticas sustentáveis, além de desmistificar a ligação de padrão estético e qualidade do produto. A nova linha é um importante passo para introduzir ou ampliar o consumo de orgânicos na mesa de nossos clientes a um custo mais acessível”, explica o diretor de Marcas Exclusivas do Grupo Pão de Açúcar, Wilhelm Kauth.

A maioria dos fornecedores orgânicos de Taeq são pequenos e médios produtores que descartam os itens que não passam pelos critérios estéticos para comercialização. “Dessa forma, contribuímos para reduzir o desperdício ao valorizar alimentos que possuem mesmo valor nutricional, mas esteticamente não estão dentro do padrão”, diz o executivo. 

A partir desta iniciativa, até o fim deste ano, as redes de supermercado esperam aumentar em 20% a venda de orgânicos nessas lojas.