Notícia 13:11 - 08 de junho de 2021

Após dois meses em queda, a ruptura - índice que mede a falta de produtos nos supermercados – voltou a subir no Brasil, ao ponto de no mês de abril fechar com 11,03%. De acordo com o estudo realizado pela Neogrid, no ranking dos produtos com maior ruptura estão as bebidas à base de soja, leite longa vida, ovos, chocolates e até o rum. A razão desse aumento se deve principalmente ao aumento do consumo, impactado pela volta do auxílio emergencial.

A ruptura já vinha oscilando no País, desde o início da pandemia. Por isso, após quatro meses em alta (de setembro de 2020 a janeiro deste ano), o índice havia recuado nos meses de fevereiro (11,45%) e março (10,68%), mas agora voltou a subir em abril (11,03%). Para Robson Munhoz, CCSO (chief customer success officer) da Neogrid, esse cenário vem acontecendo porque nos primeiros meses do ano houve uma retomada da produção de embalagens, principalmente no caso dos produtos que têm como matérias-primas o vidro e o alumínio 

"Já essa alta na ruptura de abril vem pelo consumo mesmo. O programa de auxílio do governo fez com que as famílias voltassem aos supermercados. Apesar de pequena em relação ao ano passado, toda a ajuda financeira nesse momento é bem-vinda. Porém, com menos dinheiro, o consumidor passa a comprar produtos de menor valor, mas que cumprem o mesmo propósito. Em resumo, ele começa a migrar para marcas mais baratas e o varejo não responde tão rapidamente assim a essa mudança de comportamento do consumidor, o que gera a falta de alguns produtos nas prateleiras", explica Munhoz. 

O executivo da Neogrid ainda chama atenção para outro ponto importante. Com a pandemia e o cenário econômico, algumas indústrias começaram a apresentar problemas financeiros e isso afetou o ritmo de produção. 

Créditos da imagem de capa: iStock


Veja também