Notícia 13:48 - 22 de outubro de 2019

Os preços dos panetones e chocotones podem subir até 13% quando comparados ao acumulado do ano. O principal motivo deste crescimento é a alta procura nas duas últimas semanas do ano, período de maior demanda pelo produto. As vendas deste ano devem aumentar 5% nominalmente no varejo alimentar, conforme revela o levantamento da Associação Paulista de Supermercados (APAS).

Em contrapartida, o Peru e o Chester apresentaram queda de 13,2% no acumulado até setembro. Haverá um aumento natural do preço em novembro e dezembro por conta da demanda da época, subindo 3,5%. “A queda no preço das carnes atingiu recordes de exportação por conta da alta do dólar e influenciada pela crise da peste suína na China”, destaca o economista da APAS, Thiago Berka. 

Já os cortes Suínos e Bovinos não ficaram imunes ao aumento; os valores devem subir 1,5% e 2%, respectivamente devido também ao dólar alto e a peste suína na China.

Doces têm no Natal a segunda melhor data para a indústria. A compra de chocolate como presente alavanca o setor, uma vez que agrada grande parcela dos consumidores. Os preços tiveram queda no acumulado do ano de 0,1%. Porém, em dezembro, eles devem ficar 0,7% mais caros.

Espumantes: No acumulado do ano, o produto registrou queda de 2,5%. Para o Natal, os preços devem subir 1,5%.

Vinho: O preço da bebida cresceu 4,2% neste ano, em reflexo do expressivo aumento do câmbio. Até o final do ano, o consumidor irá observar acréscimo de 0,8%.

Cerveja: Mesmo não sofrendo o mesmo impacto que o vinho e com a crescente concorrência no setor, as cervejas tiveram no acumulado até setembro queda de 1,2%. Para o fim de ano, a bebida deve subir 0,5% devido à alta demanda.

Azeite e outros condimentos: O preço do azeite caiu 2,9% no acumulado até setembro. Para dezembro, o insumo terá aumento pequeno de 0,5%.


Veja também