Notícia 11:52 - 10 de junho de 2021

Na última semana, a parceria entre Mercado Livre e Grupo Pão de Açúcar (GPA) deu o que falar no varejo. Isso porque, por meio do acordo, o grupo vai ganhar ainda mais capilaridade nacional com a entrega de produtos em regiões onde não detém lojas físicas. Além disso, por acontecer dentro do modal fulfillment, todo o processo logístico e o de pós-venda das operações ficam sob responsabilidade do Mercado Livre.

A grande questão é: uniões como essa são possíveis apenas para grandes redes de supermercados? Em entrevista exclusiva para a SuperVarejo, a diretora de Marketplace do Mercado Livre, Maria Eduarda Cyreno, esclarece essa e outras dúvidas frequentes do trade.

Para começar, o que é a modalidade fulfillment?
É um dos modelos de envio oferecidos pelo Mercado Livre, também conhecido pelos usuários pelo filtro “full”. Todas as vendas de supermercados feitas na plataforma, aliás, são operadas por meio desse processo. “Na modalidade, o varejista coloca o seu estoque dentro do nosso armazém e o Mercado Livre fica responsável por toda a logística. Ou seja, a gente faz separação, embalagem, transporte, rastreio e pós-venda”, explica Maria Eduarda. O único trabalho do supermercadista, então, é fazer o cadastro dos produtos, decidir quais itens do seu estoque vão para o centro de distribuição e ficar sempre de olho para mantê-lo abastecido. A coleta dos itens é feita por caminhões do Mercado Livre, que levam os produtos ao CD.

Quais as outras vantagens para supermercadistas?
Além de ganhar uma vitrine e tanto com a plataforma visitada por 70 milhões de usuários únicos, vale destacar que o modelo fulfillment também assegura agilidade na entrega. “90% dessas compras chegam em dois dias e 75% em até 24 horas, cobrindo mais de 1800 cidades, ou seja, 80% da população do País”, acrescenta.

Segundo a diretora de Marketplace da plataforma, produtos que estão dentro da modalidade “full” ganham mais relevância e, com isso, a conversão pode ser até 100 vezes maior. “Como os usuários e o algoritmo do Mercado Livre já reconhecem que existe uma melhor experiência quando o produto é ‘full’, ele sobe na busca”. Ou seja, se tiver a mercadoria em estoque, o supermercadista se destaca dos demais.

Outro benefício é a possibilidade de oferecer meios de pagamento nem sempre presentes nas lojas físicas, como Pix, boleto parcelado e Mercado Pago, que contempla clientes não bancarizados.


Entrar nessa é só para os grandes?

Não. Segundo Maria Eduarda, o acordo é vantajoso para negócios de qualquer tamanho, principalmente para os menores, e não há custo adicional para estar dentro do fulfillment. Para firmar acordo, o varejista precisa ser uma empresa constituída com CNPJ, ter volume de estoque e fazer um processo de integração entre o sistema da loja e o do Mercado Livre, para emissão de notas fiscais, relatório de vendas, entre outros procedimentos.

Aliás, quando se trata de supermercadistas ainda sem presença digital, também pode ser uma boa estratégia. “Para quem não tem uma plataforma de e-commerce própria, a forma mais rápida de se colocar online é por um marketplace, como o Mercado Livre, ou com um last mile delivery, a exemplo do Rappi, sem se preocupar com conteúdo ou logística.”

Ruptura zero e ativações sem custo
Se a falta de integração entre o estoque real e o do e-commerce ainda é um desafio para os supermercados online, Maria Eduarda afirma que rupturas não existem em compras no Mercado Livre. Se um produto está em falta no centro de distribuição, ele automaticamente sai da plataforma. A experiência ruim do consumidor não vai acontecer”.

Fora isso, a plataforma tem desenvolvido uma série de ações específicas para impulsionar as vendas dos supermercados. Toda quarta-feira, por exemplo, tem o Dia do Super; no dia seguinte, Quinta da Bebida, além de outras ações realizadas em parceria com os varejos, sem custo algum.

 

Categorias contempladas
No Mercado Livre, supermercadistas conseguem vender itens de Mercearia, Limpeza, Higiene, Beleza e demais categorias que não sejam super perecíveis. FLV e hortifrúti continuarão de fora por muito tempo? Maria Eduarda diz que tem algumas novidades interessantes em andamento. O radar da SuperVarejo seguirá ligado!

 


Veja também