Notícia 13:48 - 10 de junho de 2021
Apenas em 2020, os investimentos que a Nestlé Brasil fez em suas operações chegaram a R$ 771 milhões. Já em 2021, o volume aplicado da companhia foi de R$ 900 milhões, o maior desde os aportes de 2017 (R$ 447 milhões), seguido por R$ 490 milhões em 2018 e R$ 452 milhões em 2019. Totalizando as aplicações dos últimos quatro anos, renderam mais de R$ 2 bilhões de investimento.
 
Do montante desse ano, 85% dos recursos serão destinados à automação, modernização e expansão da capacidade na produção, além de investimentos em eficiência energética e processos sustentáveis nas unidades fabris. Só para inovação em produtos e embalagens, estão previstos R$ 235 milhões. Os demais recursos serão dirigidos a melhorias em vendas e logística de distribuição, gestão e recursos relacionados com tecnologia e atividades administrativas.
 
"Em 2021, em apenas um ano, vamos aplicar quase a metade do volume de recursos direcionado a investimentos nos últimos quatro anos. Esse aumento importante nos recursos dirigidos à modernização, automação e expansão das fábricas, e à jornada de sustentabilidade nas nossas operações, reflete a relevância e a aposta no Brasil para a Nestlé, especialmente em um ano comemorativo, quando a Companhia completa 100 anos de presença no país", comenta Luis Garcia Prieto (imagem na capa), vice-presidente técnico e de produção da Nestlé Brasil, a respeito da estratégia de investimento que tem reforçado os recursos principalmente em produção e vendas desde 2019.
 
Entre os projetos prioritários para 2021, está a expansão da produção na unidade de Montes Claros (MG), em uma nova linha de cápsulas de Nescafé Dolce Gusto. Outros recursos são para transformação digital e indústria 4.0, com robôs e tecnologias que trazem maior eficiência e produtividade, além de segurança. Além disso, estão previstas adequações de infraestrutura para novas tecnologias nas plantas de Araras (SP), Vila Velha (ES), Ituiutaba (MG), Ibiá (MG), Montes Claros (MG), Marília (SP) e Goiânia (GO).
 
Está projetada, ainda, a ampliação de capacidade, com adaptações e novas linhas, em Caçapava (SP), São José do Rio Pardo (SP), Feira de Santana (BA), Araras e Ibiá — em categorias como chocolates, cafés, lácteos e nutrição infantil — , além de investimentos em inovação em embalagens e formatos, nas plantas de Caçapava, Vila Velha e Marília, com destaque para biscoitos e chocolates, e na redução de uso de plástico e papelão em embalagens, em iniciativas que ocorrerão nas unidades de Vila Velha, Ituiutaba e Caçapava.
 
O ano também será de aportes em eficiência energética e sustentabilidade nas operações industriais, com destaque para as plantas de Araçatuba, Ibiá e São José do Rio Pardo, como projetos de caldeiras com uso de biomassa e novas instalações para aproveitamento de água.

Veja também