Notícia 18:51 - 03 de maio de 2021

Após uma leve tendência de deflação, no mês de fevereiro, o Índice de Preços dos Supermercados (IPS) - calculado pela APAS (Associação Paulista de Supermercados) em parceria com a FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) - voltou a registrar um aumento nos preços dos alimentos, no mês de março, de 0,28%. 

Segundo a APAS, um dos principais motivos que impulsionaram esse aumento foi a alta no preço dos ovos, de 7,65%, por conta do período de Páscoa, representando quase 80% no acumulado dos últimos 12 meses, aliada também ao aumento no preço dos chocolates - com acréscimo de 0,45% - e do bacalhau, com 1,43%. 

Por outro lado, o arroz e o óleo seguem com desaceleração nos preços. "No mês passado, o cereal caiu novamente, dessa vez, em -0,58%, assim como o óleo (-0,64%). Essa última diminuição refere-se também à soja, que teve um recorde durante a safra no período, atingindo no acumulado deste ano, 5,06%", esclarece Ronaldo dos Santos, presidente da APAS.

O IPS também constatou que os legumes, que tinham registrado uma alta de 12,16% em janeiro, fecharam o mês de março com queda de 4,34%, assim como os preços das frutas também caíram 1,67%, enquanto as verduras acumulam neste ano uma alta de 19,01%.

Entre os dez produtos com maior aumento dos preços em março estão: o mamão (29,56%), seguido pela vagem (21,84%). 
 

Veja também