Notícia 11:37 - 22 de julho de 2021

Com 40% do lixo total gerado na região da América Latina, o Brasil já se tornou campeão nesse aspecto. Comprometida com a responsabilidade ambiental, a rede de varejo Coop possui um vasto trabalho voltado para os públicos interno e externo e suas iniciativas de preservação do meio ambiente estão cada vez mais integradas aos projetos e estratégias de empresa, bem como alinhadas com as diretrizes da plataforma de sustentabilidade Coop Faz Bem.

Em suas unidades, a Coop possui coletores para descarte adequado de diversos produtos, de eletroeletrônico a lâmpadas e óleo de cozinha e, como reconhecimento desse importante trabalho, a rede aparece na terceira colocação do ranking das 10 principais varejistas parceiras da Reciclus que mais coletam lâmpadas desde 2017, segundo levantamento da Associação Brasileira para a Gestão da Logística Reversa.

Temos em nosso DNA a cultura de cooperar com a comunidade. Trata-se de uma prestação de serviço já consolidada junto à comunidade, cada vez mais consciente da necessidade de atuar na preservação do meio ambiente”, analisa Adalberto Correia dos Santos Júnior, coordenador do Serviço Especializado em Segurança, Medicina do Trabalho e Meio Ambiente.

Em parceria com a Green Eletron, gestora de logística reversa de eletroeletrônicos e pilhas do Brasil, a Coop possui pontos de entrega voluntária de eletroeletrônicos nas lojas Industrial (Santo André), Diadema, Barão de Mauá (Mauá), além de Sorocaba, São José dos Campos, Tatuí e Piracicaba. Em qualquer uma dessas lojas — e nas 31 unidades do supermercado — , é possível entregar aparelhos de celular, baterias, fones de ouvido, videocassetes, rádios, secadores de cabelo, furadeiras e outros eletroeletrônicos sem uso, quebrados ou queimados.

As drogarias da rede, hoje com 77 unidades, contam com coletores de descarte não apenas de remédios, mas também de embalagens primárias, como as caixas dos medicamentos, bulas e cartelas de pílulas que entram em contato com a medicação, sendo resíduos considerados perigosos e capazes de contaminar a água dos rios, o solo e o lençol freático. O material coletado é encaminhado para uma empresa licenciada pela Cetesb, que faz a incineração. No ano passado, o volume entregue foi de 6,4 toneladas. Somam-se a esse número outros 1.662 quilos depositados no primeiro trimestre deste ano. Só de óleo de cozinha foram 4.248 litros entregues em 2020, mais 925 litros nos primeiros três meses de 2021.

Além das ações voltadas para o descarte adequado, a Coop também intensificou outras ações para o meio ambiente e para as comunidades. Os banners promocionais que divulgam ações e promoções nas lojas, após vencido o prazo de validade da divulgação, vão para reciclagem e transformam-se em ecobags modernas, entregues na forma brinde aos novos colaboradores contratados pela rede. Além de colaborar com o meio ambiente, dando vida nova e funcional ao resíduo que seria descartado, a produção das sacolas gera trabalho e renda para um grupo de assistidos do núcleo de saúde mental da Prefeitura de Santo André. 

Outra iniciativa da Coop tem beneficiado também os animais. O descarte de farináceos gerados na cadeia de produção da Central de Panificação e de seis padarias da Coop, que iam para o lixo orgânico, agora são reaproveitados para a produção de ração. Leonardo Pimenta, técnico responsável em segurança no trabalho e meio ambiente, adianta que a ação é fruto de parceria com uma fabricante paulista, que recolhe o material, tritura, adiciona outras proteínas e transforma a mistura em ração animal. 

Aqueles produtos que ainda estão perfeitos para o consumo, mas fora dos padrões de comercialização (caso de um tomate ou uma lata amassada), e trabalham no combate à fome e ao desperdício, distribuindo alimentos às instituições que atendem famílias em vulnerabilidade social. Só no primeiro trimestre deste ano, a Coop dou 198 mil quilos. 

E por último, mas não menos importante, a Coop passou a disponibilizar sacolas verdes (para recicláveis) e cinza (para orgânicos) para embalar as compras. A medida visa incentivar os consumidores a separar o lixo corretamente antes de entregá-lo à coleta feita pelos municípios. 


Veja também