Notícia 16:31 - 03 de julho de 2019

A Via Varejo, responsável pelas bandeiras Casas Bahia e Ponto Frio, anunciou a demissão de 12 executivos de alto escalão ontem (02/07) para compor um novo quadro de diretoria, com a presença de executivos que retornam à companhia e até nomes anteriormente associados a negócios concorrentes, como o Magazine Luiza, de acordo com informações do jornal O Estado de S.Paulo. A reestruturação acontece depois da venda do controle acionário, em junho, da rede pelo Pão de Açúcar para a família de Michael Klein, que retomou o comando das Casas Bahia após dez anos.

Dessa forma, Roberto Fulcherberguer assume a presidência como CEO, já tendo atuado na empresa como vice-presidente comercial e integrante do Conselho Administrativo. Consigo, Fulcherberguer trouxe Abel Ornelas como executivo chefe de operações (COO), Orivaldo Padilla como CFO, e Sergio Leme como vice-presidente administrativo, além de Michael Klein como presidente do conselho administrativo. 

Em nota à imprensa, o novo CEO propõe a retomada à simplicidade. “Vamos voltar a fazer o varejo, simples e bem feito. É a origem do nosso negócio e é o que faz o varejo ser varejo”, afirma. Contudo, também defende uma estratégia de omnicanalidade, declarando que a nova Via Varejo será “uma empresa de muitas lojas físicas com um ótimo digital e um digital com muitas lojas físicas”. Sobre essa realidade atual, o executivo ainda considera que o consumidor enxerga a marca, sem distinção de plataforma. “A ideia é ter um online extremamente digital e leve”, conclui Fulcherberguer.

Entre as contratações de executivos de empresas concorrentes como Walmart e Carrefour, a companhia trouxe Ilca Sierra como diretora de marketing multicanal e comunicação, depois de uma década de experiência no Magazine Luiza, a executiva também passou pelo Grupo Pão de Açúcar, Pernambucanas e Fox. Esta contratação, aliás, vai ao encontro da nova estratégia de prospectar a concorrência, principalmente no quesito online, já que esta é considerada uma das principais deficiências atualmente da companhia.

Com o intuito de reverter este cenário estabelecido, Fulcherberguer declarou através de um vídeo institucional, divulgado na última segunda-feira (01/07), que irá reduzir o espaço perdido no mercado para o Magazine Luiza e frisou que “tem alguma coisa errada” com a posição atual da empresa. “Nós vendemos R$10 bilhões a mais do que a nossa principal concorrente, mas eles valem R$34 bilhões a mais na Bolsa”, observa.