Notícia 09:17 - 13 de setembro de 2019

A Vigor anunciou que, para 2020, a intenção da empresa é aumentar a participação no setor de fast food e, por isso, irá ingressar no segmento de queijos processados fatiados.

Por causa disso, a companhia está investindo cerca de R$ 25 milhões em maquinário, infraestrutura, tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, o que oferecerá a ela condições de atender às principais redes de fast food no Brasil e no exterior, já no primeiro trimestre do ano que vem.

A definição da unidade que receberá a operação será feita nos próximos trinta dias pela empresa, que conta com as fábricas de Barra do Piraí, no Rio de Janeiro e São Gonçalo do Sapucaí, em Minas Gerais como duas possíveis escolhas.

Mercado motivou decisão

A decisão de entrar no segmento foi motivada por demanda do mercado, identificada como uma grande oportunidade para a Vigor Profissional, unidade de negócios de food service da empresa. Atualmente, a área já fornece produtos das categorias margarina, requeijão, queijos especiais, queijos cremosos, creme culinário e iogurte para os maiores atuantes do mercado.

O presidente da companhia, Gilberto Xandó, afirma que, com o investimento em queijos processados fatiados, a pretensão é consolidar-se como a fornecedora mais importante desses clientes em todos os segmentos em que atua. “A partir dessa movimentação, a Vigor passará a ser uma opção ainda mais relevante para os principais players do setor”, diz.

Além de atender o Brasil inteiro, a companhia tem a intenção de iniciar exportações ainda em 2020, com foco em países da América Latina. O impulso será dado a partir da nova categoria, mas esses mercados já são alvo de toda a sua unidade de food service.

Agora, a meta da Vigor Profissional é duplicar o valor de seu negócio em três anos e, para liderar o novo desafio, agregou recentemente à equipe Alonso Bee como diretor da unidade de negócios, que se mostra otimista em relação ao mercado.

Segundo ele, nos últimos anos foi possível perceber crescimento do setor de food service, impulsionado pela tendência mundial de alimentação fora do lar. No fast food, essa aceleração é vista também pela ampliação do número de restaurantes das grandes redes. “Vimos esse cenário como o ideal para aproveitar a oportunidade de demanda. Já temos esse segmento como prioritário para o nosso negócio”, comenta o diretor.

O momento atual de food service também está alinhado com o recente movimento realizado pela Vigor para aquecer o mercado de queijos no Brasil. Do final do ano passado para cá, a empresa investiu R$ 41 milhões na ampliação da capacidade fabril de seu parmesão na unidade de São Gonçalo do Sapucaí, e tem verba de R$ 30 milhões alocada para aumento de produção e ganho de produtividade nas suas demais fábricas de queijos até 2021.

De acordo com Xandó, todos esses esforços levam a Vigor a um outro patamar no segmento de queijos como um todo. “A Vigor se tornará, muito provavelmente, a solução mais completa de queijos para o varejo e o food service no Brasil”, explica o presidente.

Veja também:

Vigor anuncia mudanças na diretoria

Vigor lança leite fermentado em ambalagens de 900g

Novo sistema de rastreabilidade passa a vigorar em agosto