Notícia 18:06 - 15 de abril de 2021

Aliar o crescimento econômico com a diminuição da emissão de CO2 na atmosfera é o melhor dos mundos em tempos de pandemia. E essas são as estratégias que a Vinícola Aurora, considerada a maior cooperativa vinícola brasileira, vem adotando ultimamente.

No mesmo ano em que a companhia registrou um faturamento de R$ 701 milhões – o maior em 90 anos de história –, reduziu também a emissão de 316,8 mil toneladas de gás carbônico. Para que se tenha uma ideia da dimensão, esse volume corresponde a 8,8 mil mudas de árvores conservadas durante 20 anos; a 3,1 mil veículos leves funcionando à gasolina e percorrendo 500 quilômetros, ou a 793 transportes de cargas de uma tonelada.  

Além disso, pelo terceiro ano consecutivo, a empresa recebeu o Certificado de Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa por utilizar apenas energia elétrica proveniente de usinas de fontes renováveis e incentivadas pelo Governo Federal, como a eólica, solar, biomassa, de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e as Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs). O certificado foi emitido pela Consultoria em Energia Ludfor.  

“Temos uma preocupação muito grande com a preservação dos recursos naturais, visto que o que move a indústria vinícola depende da natureza e do clima. Para nós, é emblemático que em 2020, no ano em que tivemos uma das melhores safras da história, podemos receber uma certificação internacional por redução de CO2 no meio ambiente”, afirma Hermínio Ficagna, diretor superintendente da Vinícola Aurora.

Além disso, Ficagna avalia que, mais do que a economia gerada pelo uso de energias renováveis, que chegou a R$ 828 mil no período - uma média de 25% do que seria gasto com fontes convencionais, o mais importante é conciliar a produtividade com sustentabilidade. 

Os dados dos cálculos de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) seguem as metodologias reconhecidas internacionalmente, como o GHG Protocol Corporate Standart da The Green house Gas Protocol Initiative e o Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC).


Uma das plantas industriais da Aurora, inaugurada em 2019, no Vale dos Vinhedos (RS), é a primeira fábrica do Brasil com certificado LEED versão 4.0 por ser 100% sustentável. A vinícola também possui outras duas unidades no Rio Grande do Sul, uma em Bento Gonçalves e a outra no município vizinho de Pinto Bandeira.

Imagem de capa: André Majola

 


Veja também