Notícia 13:04 - 26 de fevereiro de 2021

Contrariando o cenário negativo de 2020 para grande parte das empresas, o saldo do setor de vinhos foi bastante positivo, ao ponto de registrar um consumo médio com aumento de mais de 20%, conforme a Ideal Consulting, assessoria especializada no mercado de bebidas.

Por conta desse crescimento, a Vinícola Góes, de São Roque (SP) se prepara para tornar este ano ainda mais favorável que o ano anterior, investindo mais de R$ 4 milhões nos processos de pesquisa de uvas para a produção de vinhos, sucos e espumantes, além de inovar todo o seu sistema fabril, comprando novos equipamentos para manter a modernização das linhas de envase de garrafas de vidro.

Entretanto, uma das apostas mais inovadoras foi a aquisição de uma nova e completa linha para envase de latas, com capacidade para produção de cerca de quatro mil latas por hora. Ela conta não só com os recursos tradicionais para envase, recravação e empacotamento de latas, mas também com equipamentos para pasteurização, nitrogenação e aplicação de sleeves, o que permite uma grande flexibilidade para a produção de vinhos em lata, coolers, sucos e outras famílias de produtos. Afinal, o vinho em lata já é uma tendência consolidada nos Estados Unidos e Europa.

A lata traz ao consumidor atributos como conveniência, novas ocasiões de consumo, sustentabilidade, além de permitir o consumo em porções menores. Com esse produto queremos atingir novos consumidores, com uma linguagem mais moderna, simples, descontraída e mais acessível, sem perder a qualidade de um bom vinho”, explica Luciano Lopreto, diretor comercial da Vinícola Góes.

Outra novidade com grande potencial para alavancar os negócios da vinícola é a terceirização de produtos e serviços. Uma série de novos projetos com novos parceiros vêm sendo discutidos neste início de 2021. “Nosso foco sempre estará na produção e venda de vinhos da nossa marca, mas a terceirização é uma grande oportunidade de mostrarmos ao mercado nossa eficiência, qualidade e cuidado com o que fazemos, além de, é claro, otimizar a utilização dos nossos recursos e ativos. Linha produtiva parada é igual avião no solo, nós queremos o avião voando, atendendo nossas demandas e sendo uma excelente alternativa produtiva para parceiros”, exemplifica Lopreto.

A modernização de alguns rótulos dos vinhos em garrafas e os lançamentos de novos produtos, inclusive de novas variedades de uvas que estão sendo cultivadas pela Góes em solo paulista, também fazem parte dos planos da empresa para 2021. “Como o segmento de bebidas em lata é uma tendência, podem surgir outras bebidas inovadoras ligadas ao vinho”, completa o executivo.

 

 


Veja também