Coronavírus

  • Abílio Diniz e as lições para o varejo, após a Covid-19

    Coronavírus 17:44 - 25 de maio de 2020

    Foi nesse tom descontraído que Abílio Diniz, presidente do conselho de administração da Península Participações e membro dos conselhos do Carrefour Brasil e Global, conversou nesta quinta-feira (dia 21 de maio) com João Sanzovo Neto, presidente da ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados e com o mediador da live, Ronaldo dos Santos, presidente da APAS.

    “Essa é uma das crises mais violentas que já vi, afinal as pessoas estão com medo do coronavírus, medo de morrer, medo da crise econômica e de perderem os seus empregos, mas é preciso enfrentar tudo isso com serenidade. E, no caso dos supermercardistas, com maior atenção para os negócios e o caixa, que depois da saúde, é uma das partes fundamentais para que o estabelecimento se mantenha de pé”, afirma Diniz.

    Para se ter uma visão mais razoável do que estar por vir, ele acredita que é preciso separar o medo real do medo imaginário. Ou seja, não alimentar a ilusão de que a vida voltará ao normal, antes da criação de uma vacina ou remédio que realmente detenha a Covid-19. “Não acredito no que dizem sobre o mundo nunca mais ser o mesmo. Acho que as pessoas vão continuar querendo sair, viajar, jantar, encontrar os seus amigos. E nesse quesito, algumas coisas que estamos vendo são acelerações de processos que já existiam. As vendas do e-commerce vão aumentar, mas ele já existia. O trabalho em home office vai aumentar, mas também já existia. Por outro lado, quando vier a flexibilização, as pessoas vão precisar continuar usando máscaras, evitando aglomerações, e isso não tem a ver com a vida ‘normal’, ao meu ver”, defende Diniz.

    E sendo assim, os supermercados terão que continuar usando os protocolos de segurança, depois que o isolamento social terminar. As pessoas também vão continuar dando preferência para as lojas de conveniência dos bairros. “Mas isso também já existia, então não vejo muita coisa mudando depois dessa crise, exceto para os consumidores, que devem priorizar mais a alimentação saudável, e para os supermercadistas, que com a queda nas taxas de juros, inflação inexistente e real desvalorizado podem ter futuramente uma ótima oportunidade de crescer no varejo alimentar, depois que tudo isso passar”, conclui Diniz.


    Veja também


  • Zanchetta toma medidas de prevenção à Covid-19

    Notícia Coronavírus 18:33 - 14 de maio de 2020

    O Grupo Zanchetta de alimentos, seguindo as recomendações de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), está fazendo o possível para manter o abastecimento nos níveis normais.

    Com isso, a empresa montou um vídeo, como forma de agradecer a todos os funcionários da cadeia produtiva pelo seu trabalho, em uma época tão complicada.

    Além disso, a companhia tomou medidas preventivas como: a distribuição de materiais informativos, o transporte para os trabalhadores, higienização diária, doação de cestas básicas e disponibilização de álcool em gel.

     


    Veja também


  • Supermercados Pague Menos doa R$ 2 milhões

    Notícia Coronavírus 18:00 - 08 de maio de 2020

    A Rede de Supermercados Pague Menos, com 28 lojas em funcionamento em 16 municípios do interior de São Paulo, aderiu à corrente do bem em prol à solidariedade contra a Covid-19, e anunciou a doação de R$ 2 milhões em cestas básicas, por meio do Instituto Pague Menos.

    "Além de apoiar a comunidade, os colaboradores e fornecedores, esta iniciativa também pretende incentivar outros empresários a aderirem ao movimento", conta Jefferson George, presidente da companhia.

    Serão cerca de 50 mil cestas básicas para o fundo social e instituições das cidades onde a empresa atua. além disso, a empresa costuma realizar outras ações como doações mensais de produtos para projetos sociais, pelo Instituto Pague, incuindo o atendimento a alguns grupos de voluntários.

     

    E no paralelo, para proteger os colaboradores e clientes durante a pandemia, a rede formou um Comitê de Prevenção, em março, e  passou a adotar medidas como: o afastamento de colaboradores que pertencem ao grupo de risco; liberação da maior parte dos colaboradores administrativos para jornada em esquema de home office; abertura em horário exclusivo para o atendimento de pessoas com mais de 60 anos; limitação de clientes nas lojas; distanciamento entre as filas; higienização de carrinhos e cestos; aplicação de álcool em gel nas mãos do clientes; fixação de placas de acrílico que servem como barreira entre cliente e operador de caixa; venda de álcool em gel a preço de custo; aferição de temperatura corporal de clientes e colaboradores, entre outras medidas. 

    Veja também


  • Cápsula pode ajudar pacientes infectados pela Covid-19

    Notícia Coronavírus 17:25 - 11 de maio de 2020

    Junto com o Grupo Samel (rede de hospitais), o Instituto Transire desenvolveu um sistema capsular para diminuir a necessidade de intubação dos pacientes com Covid-19. O equipamento chama-se Cápsula Vanessa, em homenagem a uma paciente que foi tratada por meio dele e se recuperou.

    A cápsula, facilmente higienizada, possui um sistema de ventilação, não invasivo, desenvolvido por dois fisioterapeutas da rede privada, que serve como uma barreira de proteção contra o vírus, para que os profissionais da saúde possam atender os pacientes contaminados.Ou seja, sem entrar em contato direto com eles, e assim, se protegerem de uma eventual contaminação.

    A solução pode inclusive diminuir a dependência dos respiradores, que alguns pacientes possam vir a ter. “Se utilizada logo no momento da internação, a cápsula pode evitar a evolução do quadro para intubação endotraqueal e reduzir o tempo de internação, em média, de 21 para 4,9 dias”, explica Luis Alberto Nicolau, diretor da rede Samel.

    “Pensamos em um protótipo bastante simples, que pudesse ser produzido a baixo custo e com alta escalabilidade. O resultado foi muito positivo e esperamos que possa salvar muitas vidas. O alto custo e a falta de respiradores para atender todos os pacientes é um dos principais desafios do sistema de saúde", defende Clemilton Gomes, vice-presidente do Instituto Transire.

    Os primeiros testes com pacientes foram realizados no Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes, no Lago Azul, Zona Norte de Manaus, e até o momento nenhum profissional da saúde foi infectado ao utilizar a nova tecnologia.

    O primeiro lote foi doado para a prefeitura de Manaus e outros municípios do Amazonas, e para Boa Vista, em Roraima. A cápsula também já foi implantada em estados como o Acre, Pernambuco e Pará. A expectativa é que a inovação possa ser replicada em todo o País. 


    Veja também


  • Cicopal doa EPIs para os profissionais da saúde

    Notícia Coronavírus 20:40 - 06 de maio de 2020

    Por conta da pandemia do coronavírus e dos seus impactos na sociedade, o Grupo Cicopal pretende doar 6 mil protetores faciais para os profissionais da saúde, que estão na linha de frente do combate ao vírus.

    Os protetores serão doados para as instituições do estado de Goiânia, onde se localiza a indústria da Cicopal. São elas: a Maternidade Nascer Cidadão, Maternidade Oeste, Hospital das Clínicas, Maternidade Dona Íris, entre outras.

    “Trata-se de um equipamento essencial para os nossos profissionais da área da saúde”, explica o Dr. Joao Alírio, diretor técnico do CRER (Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo).

     

    https://www.youtube.com/watch?v=Xp1OK3q_CTQ&feature=youtu.be

     


    Veja também


  • Softys amplia produção para doar mais máscaras

    Notícia Coronavírus 17:01 - 28 de abril de 2020

    Devido à alta demanda por itens de proteção para os profissionais de saúde e para a população, a Softys - subsidiária de produtos de higiene e cuidados pessoais, que fabrica e comercializa marcas como Elite, Kitchen, Babysec, entre outras pertencentes ao Grupo CMPC -, decidiu ampliar em oito vezes sua produção de máscaras de proteção. Com a aquisição de uma segunda máquina, a produção inicial será de 12,5 milhões de máscaras em até 120 dias.

    A empresa fará a distribuição gratuita desses suprimentos de proteção, no atual contexto de combate ao coronavírus. As doações serão destinadas aos serviços públicos de saúde dos estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Pernambuco, onde estão localizadas as unidades industriais da Softys e da CMPC no Brasil. "Nossa intenção é distribuir parte dessas máscaras de forma totalmente gratuita, para ajudar a impedir a propagação da pandemia", afirma Luis Delfim, diretor geral da Softys Brasil.

    Recentemente, a companhia já havia divulgado o início da fabricação de máscaras de proteção em sua planta industrial de Caieiras, em São Paulo, que até o início de maio deve produzir 1,5 milhão de máscaras por mês. O Grupo também pretende reservar uma quantidade de máscaras necessárias para o uso e os cuidados dos seus próprios colaboradores.

     


    Veja também


  • Unilever procura ajudar os pequenos varejistas

    Notícia Coronavírus 13:34 - 27 de abril de 2020

    Como forma de ajudar os pequenos varejistas a atravessarem este momento de crise do coronavírus, a Unilever e os seus parceiros distribuidores lançaram o portal “Sua Loja Aberta”, com dicas e soluções para os lojistas.

    Por meio da iniciativa Compra Unilever, e-commerce da companhia que permite ao pequeno varejista fazer o abastecimento online da sua loja, em todo o Brasil, a Unilever lançou o portal, com conteúdos que podem ajudar a manter os negócios mais sustentáveis.

    Com o conceito “Sua loja aberta. Informação que valoriza o lojista”, criado pela agência Accuracy, a plataforma procura fornecer informações relevantes, como por exemplo, dados atualizados sobre a COVID-19, as novas medidas do Governo de apoio às empresas, além de dicas de prevenção do vírus nas lojas e suporte para a condução do negócio.

    “Nossa intenção é apoiar o varejista com informação confiável e contextualizada para ele conseguir comprar, vender e administrar melhor a sua loja”, explica Juliana Carsoni, diretora de estratégia de vendas da Unilever. 

     


    Veja também


  • Confiança Supermercados doa R$ 1 milhão

    Notícia Coronavírus 10:33 - 24 de abril de 2020

    Como forma de combater o cornavírus, o Confiança Supermercados realizará a doação de R$ 1 milhão, que serão divididos entre os seis municípios que a rede atua em São Paulo: BAuru, Marília, sorocaba, Botucatu, Jaú e Pederneiras. Serão R$ 500 mil destinados a auxiliar hospitais com insumos e equipamentos, e os outros R$ 500 mil voltados para a aquisição de cestas básicas e kits de higiene para as famílias que estejam em vulnerabilidade social.  

    “Esse é um momento desafiador, nunca antes passado pela nossa sociedade. E momentos assim pedem um grande esforço e senso solidário em prol do coletivo”, afirma Jad Zogheib, presidente do Confiança Supermercados.

    As doações seguirão um cronograma de entregas do departamento de responsabilidade social do supermercado, em conjunto com as unidades de saúde e as secretarias municipais.

     


    Veja também


  • Heineken e Unilever juntas neste combate

    Notícia Coronavírus 16:50 - 23 de abril de 2020

    O Grupo Heineken e a Unilever se uniram para auxiliar 210 comunidades carentes de São Paulo a combater o coronavírus. Juntas, as empresas criaram um lote especial de Cif Higienizador + Álcool, voltado para a higienização e a desenfecção de qualquer superfície, como forma de evitar a proliferação do vírus. 

    O produto contou também com o apoio de empresas parceiras, como a Universal Chemical, BrasALPLA, CCL, Alemolde, PQS, WestRock, CRX Design e Trident, além do suporte da CUFA (Central Única de Favelas), responsável por fazer co  que ele chegue aos lares dessas famílias, durante a segunda quinzena de abril.

    A edição especial para a doação foi produzida com álcool originado das cervejarias da Heineken e o agente bactericida da Cif; as garrafas foram produzidas com o apoio da PQS e da Braslapla; os rótulos foram feitos pela empresa CCL; a Universal auxiliou no processo produtivo; a Westrock colaborou com as caixas para o transporte; a Alemolde ajudou com as tampas, e a CRX e a Trident desenvolveram a arte que estampa o produto.

    Imagem de capa: Xsandra/iStock


    Veja também


  • Bretas arrecada alimentos para doação

    Notícia Coronavírus 10:01 - 23 de abril de 2020

    A rede Bretas, em parceria com a Campanha de Combate à Propagação do coronavírus da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), iniciou uma campanha de arrecadação de alimentos não perecíveis e itens de higiene e limpeza.

    O objetivo da campanha é ajudar as pessoas em situação de vulnerabilidade social, que estão cadastradas. A arrecadação acontece em 31 lojas do Bretas em Goiás, tanto na região metropolitana como no interior, e a coleta será feita até o dia 30 de abril.

    Nas lojas de Minas Gerais também está havendo a arrecadação, destinada às entidades locais.

     

     


    Veja também