Newsletter
Receba novidades, direto no seu email.
Assinar
Economia
Economia 5 de julho de 2024

Valor da cesta básica aumenta em dez cidades

São Paulo foi a capital que apresentou maior custo, de R$ 832,69

O valor do conjunto dos alimentos básicos aumentou em 10 das 17 capitais onde o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. Entre maio e junho de 2024, as elevações mais importantes ocorreram no Rio de Janeiro (2,22%), em Florianópolis (1,88%), Curitiba (1,81%) e Belo Horizonte (1,18%). Já as principais quedas foram registradas em Natal (-6,38%) e Recife (-5,75%).

LEIA TAMBÉM
Valor da cesta básica aumentou em 11 capitais
Cesta básica ficará mais diversificada e saudável

São Paulo foi a capital onde o conjunto dos alimentos básicos apresentou o maior custo (R$ 832,69), seguida por Florianópolis (R$ 816,06), Rio de Janeiro (R$ 814,38) e Porto Alegre (R$ 804,86). Nas cidades do Norte e do Nordeste, onde a composição da cesta é diferente, os menores valores médios foram registrados em Aracaju (R$ 561,96), Recife (R$ 582,90) e João Pessoa (R$ 597,32).

A comparação dos valores da cesta, entre junho de 2023 e junho de 2024, mostra que o custo da cesta básica aumentou em 13 cidades, com destaque para as variações no Rio de Janeiro (9,90%), em Curitiba (7,66%), Brasília (7,51%) e Belo Horizonte (6,94%). A retração mais importante foi registrada em Recife (-6,16%).

Nos seis meses de 2024, todas as cidades tiveram elevação nos preços médios e os percentuais variaram entre 4,29%, em Vitória, e 10,62%, em Fortaleza.

São Paulo

Em junho de 2024, o custo da cesta básica na cidade de São Paulo foi o maior entre as 17 cidades, chegando a R$ 832,69, alta de 0,71% em relação a maio. Na comparação com junho de 2023, o valor subiu 6,34%. Nos seis primeiros meses do ano, acumulou aumento de 9,42%.

Entre maio e junho de 2024, sete dos 13 produtos que compõem a cesta básica tiveram alta nos preços médios: batata (12,10%), leite integral (5,50%), arroz agulhinha (2,89%), óleo de soja (2,22%), tomate (1,29%), manteiga (1,08%) e farinha de trigo (0,99%). Outros seis produtos apresentaram redução de valores: feijão carioquinha (-4,65%), banana (-3,85%), carne bovina de primeira (-0,84%), café em pó (-0,36%) e açúcar refinado (-0,22%). O valor médio do pão francês quase não variou (-0,05%).

No acumulado dos últimos 12 meses, foram observadas elevações em oito dos 13 produtos da cesta: batata (64,15%), arroz agulhinha (34,72%), banana (17,04%), tomate (15,00%), açúcar refinado (7,80%), manteiga (3,16%), café em pó (2,58%) e pão francês (2,01%). Foram registradas quedas em outros cinco itens: feijão carioquinha (-13,88%), farinha de trigo (-11,59%), óleo de soja (-7,20%), carne bovina de primeira (-3,99%) e leite integral (-0,29%).

Deixe seu comentário