Newsletter
Receba novidades, direto no seu email.
Assinar
Varejo
Varejo 3 de maio de 2023

Carrefour registra prejuízo de R$ 113 mi no primeiro trimestre de 2023

Já as vendas consolidadas do Grupo totalizaram R$ 27,1 bilhões no mesmo período

O Grupo Carrefour Brasil registrou prejuízo líquido de R$ 113 milhões no primeiro trimestre de 2023, revertendo o lucro líquido de R$ 370 milhões no mesmo período do ano anterior.

As vendas consolidadas do Grupo Carrefour Brasil totalizaram R$ 27,1 bilhões no primeiro trimestre de 2023, um crescimento de 30,7% comparado ao ano passado, como combinação do crescimento de vendas brutas de 5,7% no Atacadão, 5,7% de crescimento no Carrefour Varejo, expansão orgânica em Cash and Carry (+3,9%) e integração do Grupo BIG, que representou 17,3% do crescimento total (incluindo efeito de conversão).

"O Grupo Carrefour Brasil registrou um sólido desempenho de receita no primeiro trimestre, mesmo operando em um ambiente marcado por baixo consumo, desaceleração da inflação de alimentos e acirramento da concorrência. Registramos crescimento de vendas LfL no Atacadão, Carrefour Varejo e Sam?s Club, ganhos de market share e crescimento de dois dígitos no GMV, além de registrarmos crescimento robusto de faturamento no Banco", declara o CEO do Grupo, Stéphane Maquaire

Integração com o Grupo BIG

As conversões das lojas do Grupo BIG, adquirido pelo Grupo Carrefour em junho de 2022, seguem com execução acelerada. A companhia prevê finalizar a conversão de todas as 124 lojas até o fim de junho de 2023, apenas um ano após o fechamento do negócio e seis meses antes do planejamento oficial.

No primeiro trimestre desse ano, foram abertas 23 lojas convertidas para a bandeira do Atacadão, das quais 21 eram originalmente Maxxi. Ao todo, das 58 lojas iniciais Maxxi, foram convertidas 46 em lojas Atacadão e 2 ainda serão convertidas para a bandeira Sam's Club. As restantes 10 lojas estão em processo de fechamento.

"Um grande destaque do trimestre foi a rápida integração do Grupo BIG, com lojas convertidas apresentando forte aumento nas vendas. Enquanto a rentabilidade foi pressionada no trimestre pelo impacto das despesas com conversão de lojas e custos atrelados à aquisição de clientes do Grupo BIG pelo banco, as sinergias avançam de forma constante e confirmamos a meta de pelo menos R$ 2 bilhões até 2025", diz o CEO.

A performance do atacarejo

As vendas brutas no Atacarejo atingiram R$ 18,1 bilhões, um crescimento de 20,1% comparado ao mesmo período de 2022, sendo R$ 16,6 bilhões no Atacadão e R$ 1,5 bilhão na Maxxi. O trimestre foi marcado pela desaceleração da inflação de alimentos (principalmente nas commodities), um cenário competitivo acirrado, com mais de 100 lojas Cash & Carry abertas nos últimos 12 meses. De acordo com a companhia, os volumes totais no segmento Cash & Carry estão em território positivo.

Deixe seu comentário